Alda Lima :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Alda Lima

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Alda Luiza de Lima Ferreira nasceu no Rio de Janeiro em 1981, onde morou toda sua vida, passando um pequeno período de 6 meses em Nova York onde trabalhou como intérprete presencial. Cenógrafa formada pela UFRJ - Belas Artes, também é tradutora e parecerista. Em 1990, começou um curso completo de inglês no IBEU (Instituto Brasil Estados Unidos), língua na qual faz suas traduções. 

Em 2006, Alda começou a fazer pareceres literários para a Editora Record. No ano de 2008, após uma oportunidade de fazer um teste de tradução, começou a trabalhar na área, começando apenas com uma atividade nas horas livres e se tornando um trabalho de tempo integral. 

Além da tradução literária, já executou trabalhos de tradução para indústria da beleza, varejo de luxo, cultura empresarial, turismo e hotelaria, saúde, entretenimento, finanças, meio-ambiente, direitos dos animais, alimentação e arte. 

Verbete publicado em 28 de May de 2022 por:
Raul Miranda
Pablo Cardellino

Excertos de traduções

Excerto de Fallen, de Lauren Kate. Tradução de Alda Lima.

PERFECT STRANGERS

PERFEITOS ESTRANHOS

Luce barged into the fluorescent-lit lobby of the Sword & Cross School ten minutes later than she should have. A barrel-chested attendant with ruddy cheeks and a clipboard clamped under an iron bicep was already giving orders—which meant Luce was already behind.

Luce entrou no saguão iluminado pelas lâmpadas fluorescentes da Escola Sword & Cross dez minutos atrasada. Uma atendente rechonchuda, de bochechas coradas e com uma prancheta presa sob o bíceps torneado, estava dando ordens — o que significava que Luce já havia ficado para trás.

“So remember, it’s meds, beds, and reds,” the attendant barked at a cluster of three other students all standing with their backs to Luce. “Remember the basics and no one gets hurt.”

— Então, lembrem-se: PPP, pílulas, pijamas e polícia, que carinhosamente chamamos de vermelhos — ladrou a atendente para três outros estudantes de pé à frente de Luce. — Lembrem-se do essencial e ninguém vai se machucar.

Luce hurried to slip in behind the group. She was still trying to figure out whether she’d filled out the giant stack of paperwork correctly, whether this shaven-headed guide standing before them was a man or a woman, whether there was anyone to help her with this enormous duffel bag, whether her parents were going to get rid of her beloved Plymouth Fury the minute they arrived home from dropping her off here. They’d been threatening to sell the car all summer, and now they had a reason even Luce couldn’t argue with: No one was allowed to have a car at Luce’s new school. Her new reform school, to be precise.

Luce apressou-se para se juntar ao grupo. Ela ainda estava tentando entender se tinha preenchido corretamente a gigantesca pilha de formulários, se esse guia de cabeça raspada parado na frente deles era homem ou mulher, se alguém ali a ajudaria com a enorme mochila, se seus pais se livrariam de seu amado Plymouth Fury assim que chegassem em casa, depois de deixá-la ali. Eles ameaçaram vender o carro durante o verão inteiro, e agora tinham um motivo com o qual nem mesmo Luce poderia argumentar: ninguém tinha permissão para ter carros no novo colégio de Luce. Seu novo reformatório, para ser mais exata.

She was still getting used to the term.

Ela ainda estava se acostumando com a palavra.

“Could you, uh, could you repeat that?” she asked the attendant, “What was it, meds—?”

— Você podia, hum, repetir? — ela perguntou à atendente. — O que você disse sobre pílulas...

“Well, look what the storm blew in,” the attendant said loudly, then continued, enunciating slowly: “Meds. If you’re one of the medicated students, this is where you go to keep yourself doped up, sane, breathing, whatever.” Woman, Luce decided, studying the attendant. No man would be catty enough to say all that in such a saccharine tone of voice.

— Ora, vejam só quem resolveu aparecer — disse a atendente, em alto e bom som, e então continuou, enunciando lentamente: — pílulas ou remédios. Se for uma das alunas medicadas, é aonde deve ir para se manter dopada, sã, respirando, seja lá o que for. Mulher, Luce concluiu, analisando a atendente. Nenhum homem seria ardiloso o bastante pra usar aquele tom de voz sarcástico.

“Got it.” Luce felt her stomach heave. “Meds.”

— Entendi. — Luce sentiu o estômago se revirar. — Remédios.

She’d been off meds for years now. After the accident this past summer, Dr. Sanford, her specialist in Hopkinton—and the reason her parents had sent her to boarding school all the way in New Hampshire—had wanted to consider medicating her again. Though she’d finally convinced him of her quasi-stability, it had taken an extra month of analysis on her part just to stay off those awful antipsychotics.

Luce parara de tomar remédios há anos. Depois do acidente no último verão, o Dr. Sanford, seu médico em Hopkinton — e o motivo pelo qual seus pais a tinham mandado para um colégio interno em New Hampshire —, estava pensando em medicá-la de novo. Apesar de ela finalmente tê-lo convencido que estava quase estável, fora necessário um mês extra de análise simplesmente para poder ficar longe daqueles horríveis antipsicóticos.

 

 

KATE, Lauren. Fallen. Nova Iorque: Delacorte Press, 2010, p. 10 - 11

KATE, Lauren. Fallen. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera, 2010 p. 13

Excerto de Tarde demais, de Colleen Hooever. Tradução de Alda Lima.

Sloan

Sloan

Warm fingers entwine with mine, pressing my hands deeper into the mattress. My eyelids are too heavy to open from the lack of sleep I’ve had this week. The lack of sleep I’ve had all month, really.

Dedos quentes se entrelaçam aos meus, pressionando ainda mais minhas mãos no colchão. Minhas pálpebras estão pesadas demais para abrir por causa da falta de sono desta semana. Da falta de sono do mês inteiro, na verdade.

Hell, this whole damn year.

Caramba, do maldito ano inteiro.

I moan and attempt to squeeze my legs together, but I can’t. There’s pressure everywhere. On my chest, against my cheek, between my legs. It takes me a few seconds to pull my mind out of its sleepy haze, but I’m awake enough to know what he’s doing.

Gemo e tento juntar as pernas, mas não consigo. Há pressão em todo lugar. No meu peito, no meu rosto, entre minhas pernas. Demoro alguns segundos para desviar minha mente do estupor sonolento, mas estou acordada o bastante para saber o que ele está fazendo.

“Asa,” I mumble, irritated. “Get off me.” He thrusts his weight against me repetitively, groaning against my ear, his morning stubble cutting into my cheek. “I’m almost done, babe,” he breathes against my neck.

— Asa — balbucio, irritada. — Saia de cima de mim.

Ele continua empurrando seu peso contra mim, gemendo no meu ouvido, sua barba matinal arranhando minha bochecha.

— Estou quase terminando, gata — sussurra ele contra meu pescoço.

I attempt to pull my hands out from beneath his, but he squeezes them tighter, reminding me that I’m nothing more than a prisoner in my own bed, and he’s the warden of the bedroom. Asa has always had a way of making me feel like my body was at his disposal. He’s never mean or forceful about it; he’s just needy—and I find it really inconvenient.

Tento tirar as mãos de baixo das dele, mas Asa as aperta com mais força, lembrando-me de que não sou nada além de uma prisioneira na minha própria cama, e que ele é o guarda do quarto. Asa sempre conseguiu fazer com que eu me sentisse como se meu corpo estivesse à sua disposição. Ele nunca é mau ou força a barra; é apenas carente — o que acho muito inconveniente.

Like right now.

Tipo agora.

At six o’clock in the damn morning.

Às seis horas da maldita manhã.

I can guess the time by the sunlight peeking through the crack under the door, and the fact that Asa is just now coming to bed after last night’s party. I, however, have to be in class in less than two hours. This isn’t how I would have chosen to be torn from sleep after only three hours of it.

Adivinho a hora pela luz do sol entrando pela fresta da porta, e pelo fato de Asa estar vindo se deitar só agora depois da noite de ontem. Eu, por outro lado, tenho que chegar na aula em menos de duas horas. Não era assim que eu teria escolhido ser arrancada do meu sono após apenas três horas dormindo, se tivesse escolha.

I wrap my legs around his waist and hope he thinks I’m into this. When I act half interested, he gets it over with more quickly.

Envolvo a cintura dele com as pernas e torço para que ache que estou gostando. Quando pareço meio interessada, ele termina tudo mais depressa.

He palms my right breast and I let out the expected moan, just as he begins to shudder. “Fuck,” he groans, burying his face in my hair, slowly rocking against me. After several seconds, he collapses on top of me and sighs heavily, then kisses my cheek and rolls onto his side of the bed. He stands up and removes the condom and tosses it into the trashcan, then grabs a bottle of water off the bedside table. He brings the bottle to his lips, raking his eyes over my exposed flesh. His lips pull into a lazy grin. “I love that I’m the only one who’s ever been inside that.”

Ele agarra meu seio direito e dou o gemido esperado, bem na hora em que ele começa a estremecer.

— Porra — geme ele, enterrando o rosto em meu cabelo, balançando-se lentamente em minha direção. Depois de vários segundos, ele cai em cima de mim e suspira pesadamente, então beija meu rosto e rola para o seu lado da cama. Ele se levanta e tira a camisinha, jogando-a no lixo, e pega uma garrafa de água na mesa de cabeceira. Então leva a garrafa até os lábios, dando uma olhada em minha pele exposta. Sua boca exibe um sorriso preguiçoso. — Adoro ser o único que já esteve dentro disso aí.

He stands confidently naked by the bed, gulping the last of the water. It’s hard to accept compliments when they come from someone who refers to your body as “that.”

Ele fica de pé, conantemente nu, ao lado da cama, e termina de beber o resto da água. É difícil aceitar elogios quando vêm de alguém que se refere ao seu corpo como “isso aí”.

Despite his good looks, he has his faults. In fact, his looks may be the only thing about him I don’t find fault in. He’s cocky, quick-tempered, hard to handle sometimes. But he loves me. He loves the hell out of me. And I’d be lying if I said I didn’t love him in return. There are so many things I would change about him if I could, but right now he’s all I have, so I deal with it. He brought me in when I had nowhere else to go. No one else to turn to. For that reason alone, I put up with him. I have no other choice.

Apesar da boa aparência, Asa tem seus defeitos. Na verdade, sua aparência deve ser a única coisa na qual não vejo defeitos. Ele é arrogante, tem temperamento forte, é difícil de lidar às vezes. Mas me ama. Ele me ama pra cacete. E eu estaria mentindo se dissesse que não o amo também. Se pudesse, eu mudaria muitas coisas em Asa, mas ele é tudo que tenho no momento, então aguento. Ele me trouxe para casa quando eu não tinha mais para onde ir. Ninguém mais com quem contar. Só por este motivo eu o aturo. Não tenho escolha.

He brings his hand up and wipes his mouth, then tosses the empty bottle into the trashcan. He runs his hand through his thick brown hair and winks at me, then drops back onto the bed and leans in, kissing me softly on the lips. “Goodnight, babe,” he says as he rolls onto his back.

Asa ergue uma das mãos e seca a boca, jogando a garrafa vazia no lixo. Ele passa as mãos pelo cabelo castanho e grosso e pisca para mim. Então se joga na cama e se aproxima, me beijando suavemente na boca.

— Boa noite, gata — diz ele, deitando-se de costas.

“You mean good morning,” I say as I reluctantly pull myself out of bed. My t-shirt is bunched around my waist, so I pull it down and grab some pants and a different shirt. I walk across the hallway to the shower, relieved that one of our countless roommates isn’t occupying the only upstairs bathroom.

Minha camiseta está enrolada em volta da cintura, então a puxo para baixo e pego uma calça e outra camisa. Atravesso o corredor até o chuveiro, aliviada por nenhum de nossos incontáveis colegas de apartamento estarem ocupando o único banheiro do andar de cima.

 

 

HOOVER, Colleen. Too late. Texas. Hoover Ink, Inc, 2016, p. 1.

HOOVER, Colleen. Tarde demais. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2018 p. 1 - 2

Bibliografia

Traduções Publicadas

Mallety, Susan. Três irmãs e um recomeço. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Harlequin, 2021. (California girls). Romance.

Bruce Cameron, W. A Promessa de um amigo. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2020. (A Dog’s Promise). Literatura Contemporânea

Chapman, Linda. O jardim secreto: A história contada no filme. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2020. (Secret Garden). Juvenil.

Jenoff, Pam. As agentes secretas de Paris. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2020. (Lost Girls of Paris). Ficção. 

Hoover, Colleen. Tarde demais. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2018. (Too Late). Ficção

Dean, Debra. As Madonas de Leningrado. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2018. (The Madonas of Leningrad). Ficção.

E. Smith, Jennifer. Sorte grande. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2018. (Windfall). Drama. 

Portes, Andrea. Liberdade: a espiã que (meio que) gostava de mim. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2018. (Liberty). Literatura e Ficção.

Genevieve Tucholke, April. Wink Poppy Midnight [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2017. (Wink Poppy Midnight). Ficção.

Chickering, V. Uma namorada para meu marido: Um guia prático para seu final feliz. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2017. (Nookietown). Ficção.

McGovern, Cammie. Belinda e Em. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2017. (A Step Toward Falling). Literatura Juvenil.

Portes, Andrea. Anatomia de um excluído. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2017. Literatura Juvenil. 

Smith, Jennifer. Olá, adeus e tudo mais. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2017. Humor.

Crothers, Tim. Rainha de Katwe. [Por: Alda Lima].Rio de Janeiro: HarperCollins, 2016. (Queen of Katwe). Biografia.

Ham, Rosalie. A vingança está na moda. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2016. (The dressmaker). Romance. 

Headley, Maria. Magônia [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2016. (Magonia). Fantasia.

Friedland, Elyssa. Menina, larga o celular. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2016. (Love and Miss Communication). Romance.

Ford, Arielle. Transforme seu parceiro na sua alma gêmea: Um guia prático para seu final feliz. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: HarperCollins, 2016. (How To Turn Your Mate Into Your Soul Mate). Autoajuda. 

Haydu, Corey. Uma história de amor e TOC. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2015. (OCD Love Story). Romance. 

Cherry, Brittainy. Sr. Daniels. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2015. (Loving Mr. Daniels). Romance

Purdy, Amy. Por um sentido na vida. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Casa dos livros, 2015. (On My Own Two Feet). Biografia e memórias

Nappier, William. Átila: O julgamento [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2015. (Attila: The Judgement). Ficção.

Robb, Andy. Fator nerd: missão improvável. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2015. (Geekhood: Mission Improbable). Ficção. 

Mlynowski, Sarah. Férias infernais. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2015. (Vacations from Hell, Libba Bray, Cassandra Clare, Claudia Gray, Maureen Johnson). Terror. 

Robb, Andy. Fator nerd: contatos imediatos do primeiro amor. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2013. (Geekhood: Close Encounters of the Girl Kind). Ficção. 

Lette, Kathy. Como matar seu marido. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2013. (How to Kill Your Husband). Ficção. 

Carey, Anna. As irmãs Sloane. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2013. (Sloane Sisters). Literatura Juvenil.

Bushnell, Candace. Os diários de Carrie: O verão e a cidade [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2012. (The Carrie Diaries: Summer in the City). Comédia Romântica.

Nappier, William. Átila: O prenúncio da tempestade [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011. (Attila: The Gathering of the Storm). Ficção. 

Kate, Lauren. Tormenta. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2011. (Fallen: Torment). Ficção.

Kate, Lauren. Fallen. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2010. (Fallen). Ficção.

Bushnell, Candace. Os diários de Carrie. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2010. (The Carrie Diaries). Comédia Romântica.

Alt, Carol. A modelo do ano. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2010. (This Year’s Model). Juvenil.

Tuccillo, Liz. Como ser solteira. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2010. (How To Be Single). Romance.

Cross, Shauna. Derby Girl. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2009. (Derby Girl). Ficção, infanto-juvenil.

Zolidis, Dan. The Seven Torments of Amy and Craig. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Galera da Record, 2009. (Derby Girl)

Bartholl, Timo; Vradis, Antonis; Fillipidis, Cristos. Favela, resistência e luta, Timo Bartholl, Antonis Vradis. [Por: Alda Lima]. Rio de Janeiro: Editora Consequência, 2021.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.